quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Fêmea


Para todos os amantes de poesia e em especial para o Sr. Artur Gonçalves, mais um poema da minha autoria:

A fêmea move-se
felina, réptil, pássaro
há nela qualquer coisa
que remonta
à criação do mundo
Ela estende-se, ondula,
vasta, imensa
toda ela curvas
Ela é o sol e a neblina,
escurece, ilumina
O seu corpo
é
labirinto, bosque, mata

Fêmea é fogo
Fêmea é glaciar
Fêmea é... na complexidade
de existir, simplesmente fêmea.


Nicoletta Tomas Watercolour / Paper 32x46 cm.
Private collection

7 comentários:

Anónimo disse...

Está um espectáculo, minha linda. adorei. Emana sensualidade e gosto pelo corpo. Um grande beijinho, continua.
F.M.

Artur R Gonçalves disse...

Muito obrigado pela dedicatória e pelas «palavras bonitas» com que nos brindou mais uma vez. O «Sr.» é que está a mais e a capacidade de comentar (com a mesma mestria da anónima arquitecta do poema) é que está a menos. Continue a dar vida às PALAVRAS e a partilhá-las connosco.

Anónimo disse...

Já tinha comentado com a meialuadesabão que eu tinha a impressão de que tu escreves muito bem, este poema so veio confirmar a minha ideia. Estamos à espera de mais :)
100Destino

Tita disse...

como sempre surpreendente! tinha saudades de ler um poema teu... bjs

Anónimo disse...

Amiga
tens mesmo queda para a poesia!
Continua a enriquecer as nossas mentes com poemas lindos como este!

Beijos

Martinha

Méon, disse...

Já há muito que não passava por aqui.
Obrigado pela visita que me fez. Retribuo. E verifico que não posso deixar passar tanto tempo.

Um bom 2009, mais poético e com menos cansaço!

beijinho

Cartas a Si disse...

A F.M.

A tua opinião é muito importante para mim, fico feliz por saber que gostaste do meu bordado de palavras.

A ARTUR

Obrigada por visitar estas minhas "cartas" e pelos elogios que teceu à minha humilde escrita, espero estar à altura.

A 100DESTINO

Obrigada pela tua visita e pelo comentário que deixaste. Não é que escreva bem, às vezes saem-me umas coisas. :-)

A TITA

Pois é, a saudade é algo que pauta muito os meus poemas. O trabalho tem sido muito e a inspiração pouca.

A MARTINHA

Obrigada amiga. Gosto muito, mesmo muito de poesia, infelizmente não escrevo tão bem nem com a frequência que gostaria. Quanto aos poemas bons, devo confessar que é um num milhão (note-se que em sentido figurado).

A MÉON

A vida agitada que tantas vezes levamos não nos permite fazer tudo aquilo que gostaríamos. Quanto aos votos para 2009, assim espero.

Obrigada pela visita. Continue a passar por cá, terei muito gosto.